A água chia no púcaro que elevo à boca

Print Friendly, PDF & Email

A água chia no púcaro que elevo à boca (Alberto Caeiro)

A água chia no púcaro que elevo à boca.
«É um som fresco» diz-me quem me dá a bebê-la.
Sorrio. O som é só um som de chiar.
Bebo a água sem ouvir nada com a minha garganta.

Publicações relacionadas

O dilúvio O dilúvio(Machado de Assis) E caiu a chuva sobre a terra quarenta dias e q...
Módulo de verão Módulo de verão (Adélia Prado) As cigarras começaram de novo, brutas e brutas...
Só (Florbela Espanca) Eu tenho pena da Lua! Tanta pena, coitadinha, Quando ...
Turning point Turning point (Mario Benedetti) Do livro "Inv...

Deixe uma resposta