A água chia no púcaro que elevo à boca

Print Friendly, PDF & Email

A água chia no púcaro que elevo à boca (Alberto Caeiro)

A água chia no púcaro que elevo à boca.
«É um som fresco» diz-me quem me dá a bebê-la.
Sorrio. O som é só um som de chiar.
Bebo a água sem ouvir nada com a minha garganta.

Publicações relacionadas

Escreve-Me … Escreve-Me ... (Florbela Espanca) Escreve-me! Ainda que seja só Uma palavra,...
O céu O céu (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Wenceslau de Queiroz Por...
Il Trovatore Il Trovatore (Augusto dos Anjos) Canta da torre o trovador saudoso - Addio...
Mãe Mãe (Cora Coralina) Renovadora e reveladora do mundo A humanidade se renova...

Deixe uma resposta