A Criança

Print Friendly, PDF & Email

A Criança (Alberto Caeiro)

A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as cousas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em um ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.

Publicações relacionadas

Trindade Trindade (Álvares de Azevedo) A vida é uma planta misteriosa Cheia d’espinho...
Canto da estrada real – ... Canto da estrada real - 05 (Walt Whitman) Traduçã...
Poema de Sete Faces Poema de Sete Faces (Carlos Drummond de Andrade) Quando nasci, um anjo torto ...
Mistérios de um Fósforo Mistérios de um Fósforo (Augusto dos Anjos) Pego de um fósforo. Olho-o. Olh...

Deixe uma resposta