A Criança

Print Friendly, PDF & Email

A Criança (Alberto Caeiro)

A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as cousas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em um ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.

Publicações relacionadas

Dia Dia (Adélia Prado) As galinhas com susto abrem o bico e param daquele jeito ...
Ceticismo Ceticismo (Augusto dos Anjos) Desci um dia ao tenebroso abismo, Onde a dúvid...
Timidez Timidez (Cecília Meireles) Basta-me um pequeno gesto, feito de longe e de l...
Amor de tarde Amor de tarde (Mario Benedetti) Do livro "Po...

Deixe uma resposta