Ao longe, ao luar

Print Friendly, PDF & Email

Ao longe, ao luar (Fernando Pessoa)

Ao longe, ao luar,
No rio uma vela,
Serena a passar,
Que é que me revela ?

Não sei, mas meu ser
Tornou-se-me estranho,
E eu sonho sem ver
Os sonhos que tenho.

Que angústia me enlaça ?
Que amor não se explica ?
É a vela que passa
Na noite que fica.

Publicações relacionadas

A minha vida é um barco abando... A minha vida é um barco abandonado (Fernando Pessoa) A minha vida é um barco...
História de vampiros História de vampiros (Mario Benedetti) Do li...
Perdoa-me, Visão dos meus Amor... Perdoa-me, Visão dos meus Amores (Alvares Azevedo) Perdoa-me, visão dos meus ...
El Principito – XXI El Principito - XXI (Antoine de Saint-Exupéry) ... A raposa calou-se e consi...

Deixe uma resposta