O Lamento das Coisas

Print Friendly, PDF & Email

O Lamento das Coisas (Augusto dos Anjos)

Triste, a escutar, pancada por pancada,
A sucessividade dos segundos,
Ouço, em sons subterrâneos, do Orbe oriundos,
O choro da Energia abandonada!

É a dor da Força desaproveitada
— O cantochão dos dínamos profundos,
Que, podendo mover milhões de mundos,
jazem ainda na estática do Nada!

É o soluço da forma ainda imprecisa…
Da transcendência que se não realiza…
Da luz que não chegou a ser lampejo…

E é em suma, o subconsciente ai formidando
Da Natureza que parou, chorando,
No rudimentarismo do Desejo!

Publicações relacionadas

Uma Gargalhada Uma Gargalhada (Alberto Caeiro) Uma Gargalhada de rapariga soa do ar da es...
Não te salves Não te salves (Mario Benedetti) Não fiques parado a beira do caminho, não c...
Monja Monja (Cruz e Souza) Ó Lua, Lua triste, amargurada, Fantasma de b...
Às vezes entre a tormenta Às vezes entre a tormenta (Fernando Pessoa) Às vezes entre a tormenta, quan...

Deixe uma resposta