Quase um réquiem

Print Friendly, PDF & Email

Quase um réquiem (Mario Benedetti)

Do livro “Inventário”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Enquanto meu pai se asfixia no quarto 101
enquanto meu pai se asfixia como um pobre pássaro
definitivamente vencido
e usa seu último fio de voz para uma queixa humilde que parte
a alma
fora deste recinto acontecem coisas
o presidente nixon sai ileso de um exame médico de
rotina
o presidente o mesmo que também parte a alma mas com
napalm
jovens cambojanos de educação pentagonal decapitam
cadáveres norte-vietnamitas e se fotografam sorridentes
com uma cabeça em cada mão
o venerável heath vende suas armas aos arcanjos
da áfrica do sul
e aqui em montevidéu eficazes torturadores compram doces
presentes para deixar nesta noite de reis a seus bem
alimentados filhotes
tudo isso enquanto meu pai que foi um homem decente e
generoso se asfixia e morre no quarto 101.

Publicações relacionadas

A Bainha do Punhal A Bainha do Punhal (Castro Alves) Fragmento Salve, noites do Oriente, N...
Antes do nome Antes do nome (Adélia Prado) Não me importa a palavra, esta corriqueira. Qu...
El Principito – XXI El Principito - XXI (Antoine de Saint-Exupéry) ... A raposa calou-se e consi...
Assim, sem nada feito e o por ... Assim, sem nada feito e o por fazer (Fernando Pessoa) Assim, sem nada feito e...

Deixe uma resposta