A Ideia

Print Friendly, PDF & Email

A Ideia (Augusto dos Anjos)

De onde ela vem?! De que matéria bruta
Vem essa luz que sobre as nebulosas
Cai de incógnitas criptas misteriosas
Como as estalactites duma gruta?!

Vem da psicogenética e alta luta
Do feixe de moléculas nervosas,
Que, em desintegrações maravilhosas,
Delibera, e depois, quer e executa!

Vem do encéfalo absconso que a constringe,
Chega em seguida às cordas do laringe,
Tísica, tênue, mínima, raquítica …

Quebra a força centrípeta que a amarra,
Mas, de repente, e quase morta, esbarra
No mulambo da língua paralítica

Publicações relacionadas

Primavera Primavera (Augusto dos Anjos) ...
A Mário de Andrade ausente A Mário de Andrade ausente (Manuel Bandeira) Anunciaram que você morreu. Me...
Solidões Solidões (Mario Benedetti) Tradução Eles tem razão essa felicidade ao me...
Canção da Parada do Lucas Canção da Parada do Lucas (Manuel Bandeira) Parada do Lucas — O trem não par...

Deixe uma resposta