A Ideia

Print Friendly, PDF & Email

A Ideia (Augusto dos Anjos)

De onde ela vem?! De que matéria bruta
Vem essa luz que sobre as nebulosas
Cai de incógnitas criptas misteriosas
Como as estalactites duma gruta?!

Vem da psicogenética e alta luta
Do feixe de moléculas nervosas,
Que, em desintegrações maravilhosas,
Delibera, e depois, quer e executa!

Vem do encéfalo absconso que a constringe,
Chega em seguida às cordas do laringe,
Tísica, tênue, mínima, raquítica …

Quebra a força centrípeta que a amarra,
Mas, de repente, e quase morta, esbarra
No mulambo da língua paralítica

Publicações relacionadas

Anseios Anseios (Florbela Espanca) Meu doido coração aonde vais, No teu imenso ansei...
Versos íntimos Versos íntimos (Augusto dos Anjos) Vês?! Ninguém assistiu ao formidável Ent...
Se te queres matar Se te queres matar (Álvaro de Campos) Se te queres ma...
Nada É Impossível De Mudar Nada É Impossível De Mudar (Bertold Brecht) Desconfiai do mais trivial , na...

Deixe uma resposta