A caridade

Print Friendly, PDF & Email

A caridade (Augusto dos Anjos)

No universo a caridade
Em contraste ao vício infando
É como um astro brilhando
Sobre a dor da humanidade!

Nos mais sombrios horrores
Por entre a mágoa nefasta
A caridade se arrasta
Toda coberta de flores!

Semeadora de carinhos
Ela abre todas as portas
E no horror das horas mortas
Vem beijar os pobrezinhos.

Torna as tormentas mais calmas
Ouve o soluço do mundo
E dentro do amor profundo
Abrange todas as almas.

O céu de estrelas se veste
Em fluidos de misticismo
Vibra no nosso organismo
Um sentimento celeste.

A alegria mais acesa
Nossas cabeças invade…
Glória, pois, à Caridade
No seio da Natureza!

Estribilho

Cantemos todos os anos
Na festa da Caridade
A solidariedade
Dos sentimento humanos.

Publicações relacionadas

Refletindo sobre o inferno Refletindo sobre o inferno (Bertold Brecht) Refletindo, ouço dizer, sobre o i...
Passei ontem a noite junto del... Passei ontem a noite junto dela (Álvares de Azevedo) Passei ontem a noit...
Ao Luar Ao Luar (Augusto dos Anjos) Quando, à noite, o Infinito se levanta A luz do ...
Quando entre nós só havia uma ... Quando entre nós só havia uma carta (Ana Cristina Cesar) Quando entre nós só ...

Deixe uma resposta