Elogio do Revolucionário

Print Friendly, PDF & Email

Elogio do Revolucionário (Bertold Brecht)

Quando aumenta a repressão, muitos desanimam.
Mas a coragem dele aumenta.
Organiza sua luta pelo salário, pelo pão
e pela conquista do poder.
Interroga a propriedade:
De onde vens?
Pergunta a cada idéia:
Serves a quem?
Ali onde todos calam, ele fala
E onde reina a opressão e se acusa o destino,
ele cita os nomes.
À mesa onde ele se senta
se senta a insatisfação.
À comida sabe mal e a sala se torna estreita.
Aonde o vai a revolta
e de onde o expulsam
persiste a agitação.

Publicações relacionadas

Livro de Leitura Livro de Leitura (Johann Wofgang von Goethe) O mais singular livro dos livros...
Carnal e místico Carnal e místico (Cruz e Souza) Pelas regiões tenuíssimas da bruma ...
Fora de si Fora de si (Arnaldo Antunes) eu fico louco eu fico fora de si eu fico ass...
A ponte A ponte (Mario Benedetti) Do livro "Pergunt...

Deixe uma resposta