Refletindo sobre o inferno

Print Friendly, PDF & Email

Refletindo sobre o inferno (Bertold Brecht)

Refletindo, ouço dizer, sobre o inferno
Meu irmão Shelley achou ser ele um lugar
Mais ou menos semelhante a Londres.
Eu que não vivo em Londres, mas em Los Angeles
Acho, refletindo sobre o inferno,
que ele deve Assemelhar-se mais ainda a Los Angeles.
Também no inferno Existem, não tenho dúvidas, esses jardins luxuriantes
Com as flores grandes como árvores, que naturalmente fenecem
Sem demora, se não são molhadas com água muito cara.
E mercados de frutas Com verdadeiros montes de frutos, no entanto
Sem cheiro nem sabor. E intermináveis filas de carros
Mais leves que suas próprias sombras, mais rápidos
Que pensamentos tolos, automóveis reluzentes, nos quais
Gente rosada, vindo de lugar nenhum, vai a nenhum lugar.
E casas construídas para pessoas felizes, portanto vazias
Mesmo quando habitadas.
Também as casas do inferno não são todas feias
Mas a preocupação de serem lançados na rua
Consome os moradores das mansões não menos que
Os moradores do barracos

Publicações relacionadas

Meninos carvoeiros Meninos carvoeiros (Manuel Bandeira) Os meninos carvoeiros Passam a caminho ...
Relíquia intima Relíquia intima (Machado de Assis) Ilustríssimo, caro e velho amigo, Sab...
Poema de Sete Faces Poema de Sete Faces (Carlos Drummond de Andrade) Quando nasci, um anjo torto ...
Soneto da separação Soneto da separação (Vinicius de Moraes De repente do riso fez-se o pranto ...

Deixe uma resposta