Contrastes

Print Friendly, PDF & Email

Contrastes (Augusto dos Anjos)

A antítese do novo e do obsoleto,
O Amor e a Paz, o ódio e a Carnificina,
O que o homem ama e o que o homem abomina,
Tudo convém para o homem ser completo!

O ângulo obtuso, pois, e o ângulo reto,
Uma feição humana e outra divina
São como a eximenina e a endimenina
Que servem ambas para o mesmo feto!

Eu sei tudo isto mais do que o Eclesiastes!
Por justaposição destes contrastes,
junta-se um hemisfério a outro hemisfério,

As alegrias juntam-se as tristezas,
E o carpinteiro que fabrica as mesas
Faz também os caixões do cemitério!…

Publicações relacionadas

A Um Epilético A Um Epilético (Augusto dos Anjos) Perguntarás quem sou?! — ao suor que te un...
Lendo Horácio Lendo Horácio (Bertold Brecht) Mesmo o diluvio Não durou eternamente. Veio ...
Problemas del subdesarrollo Problemas del subdesarrollo (Nicolás Guillén) De...
Se souberas falar também falar... Se souberas falar também falarás (Gregório de Matos) Se souberas falar também...

Deixe uma resposta