Objeto de amar

Print Friendly, PDF & Email

Objeto de amar (Adélia Prado)

De tal ordem é e tão precioso
o que devo dizer-lhes
que não posso guardá-lo
sem que me oprima a sensação de um roubo:
cu é lindo!

Fazei o que puderdes com esta dádiva.
Quanto a mim dou graças
pelo que agora sei
e, mais que perdôo, eu amo.

Publicações relacionadas

Impressionista Impressionista (Adélia Prado) Uma ocasião, meu pai pintou a casa toda de ...
A esfinge sem segredo A esfinge sem segredo (Oscar Wilde) por Oscar Wilde UMA ÁGUA FORTE Acha...
Pareceu-me inda ouvir… Pareceu-me inda ouvir... (Augusto dos Anjos) Pareceu-me inda ouvir o nome del...
Cidade Cidade (Oswald de Andrade) Foguetes pipocam o céu quando em quando Há uma mo...

Deixe uma resposta