Os poemas

Print Friendly, PDF & Email

Os poemas (Mário Quintana)

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti…

Publicações relacionadas

Meto-me para Dentro Meto-me para Dentro (Alberto Caeiro) ...
Deusa Serena Deusa Serena (Cruz e Souza) Espiritualizante Formosura Gerada nas...
Digo sim Digo sim (Ferreira Gullar) Poderia dizer que a vida é bela, e muito, e qu...
Soneto da Fidelidade Soneto da Fidelidade (Vinicius de Moraes De tudo, ao meu amor serei atento ...

Deixe uma resposta