Os poemas

Print Friendly, PDF & Email

Os poemas (Mário Quintana)

Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti…

Publicações relacionadas

A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - VI (Oscar Wilde) CAPÍTULO VI Daí a dez minutos, a s...
Ignoto Deo Ignoto Deo (Antero de Quental) Que belleza mortal se te assemelha, Ó sonhad...
Da Sedução dos Anjos Da Sedução dos Anjos (Bertold Brecht) Anjos seduzem-se: nunca ou a matar. Pu...
A alma do homem sob o socialis... A alma do homem sob o socialismo (Oscar Wilde) " A educação é uma coisa admir...

Deixe uma resposta