Ser Poeta

Print Friendly, PDF & Email

Ser Poeta (Florbela Espanca)

Do Livro Charneca em Flor

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim…
é condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente…
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

Publicações relacionadas

Los Espejos Los Espejos (Jorge Luis Borges) Yo que sentí el horror de los espejos no só...
Pálida Inocência Pálida Inocência (Álvares de Azevedo) Cette image du ciel - innocence et beau...
Os que lutam Os que lutam (Bertold Brecht) "Há aqueles que lutam um dia; e por isso são mu...
No meio da noite No meio da noite (Adélia Prado) Acordei meu bem pra lhe contar meu sonho: se...

Deixe uma resposta