Silêncio!…

Print Friendly, PDF & Email

Silêncio!… (Florbela Espanca)

No fadário que é meu, neste penar,
Noite alta, noite escura, noite morta,
Sou o vento que geme e quer entrar,
Sou o vento que vai bater-te à porta…

Vivo longe de ti, mas que me importa?
Se eu já não vivo em mim! Ando a vaguear
Em roda à tua casa, a procurar
Beber-te a voz, apaixonada, absorta!

Estou junto de ti, e não me vês…
Quantas vezes no livro que tu lês
Meu olhar se pousou e se perdeu!

Trago-te como um filho nos meus braços!
E na tua casa… Escuta!… Uns leves passos…
Silêncio, meu Amor!… Abre! Sou eu!…

Publicações relacionadas

A orillas del Duero A orillas del Duero (Antonio Machado) Mediaba el mes de julio. Era un hermoso...
O Cúmplice O Cúmplice (Jorge Luis Borges) Tradução Me crucificaram e eu devo ser a cr...
Paisagem N.º 1 Paisagem N.º 1 (Mário de Andrade) Minha Londres das neblinas finas! Pleno ve...
Lirial Lirial (Augusto dos Anjos) Por que choras assim, tristonho lírio, Se eu sou ...

Deixe uma resposta