Terza Rima

Print Friendly, PDF & Email

Terza Rima (Álvares de Azevedo)

É belo dentre a cinza ver ardendo
Nas mãos do fumador um bom cigarro,
Sentir o fumo em névoas recendendo,

Do cachimbo alemão no louro barro
Ver a chama vermelha estremecendo
E até… perdoem… respirar-lhe o sarro!

Porém o que há mais doce nesta vida,
O que das mágoas desvanece o luto
E dá som a uma alma empobrecida,
Palavra d’honra, és tu, ó meu charuto!

Publicações relacionadas

Meninos carvoeiros Meninos carvoeiros (Manuel Bandeira) Os meninos carvoeiros Passam a caminho ...
À história À história (Antero de Quental) de Odes mod...
Desta vez não vai ter neve Desta vez não vai ter neve (Paulo Leminski) desta vez não vai ter neve como e...
O Espelho O Espelho (Alberto Caeiro) O espelho reflecte certo; não erra porque não pe...

Deixe uma resposta