Subúrbia

Print Friendly, PDF & Email

Subúrbia (Mario Benedetti)

Do livro “Inventário”
Tradução de Julio Luís Gehlen

No centro da minha vida
no núcleo capital da minha vida
há uma fonte luminosa um chafariz
que levanta convicções coloridas
e é lindo contemplá-las e segui-las

no centro da minha vida
no núcleo capital da minha vida
há uma dor que palmo a palmo
vai ganhando seu tempo
e é útil aprender sua marca firme

no centro da minha vida
no núcleo capital da minha vida
a morte fica longe
a calma tem cheiro de chuva
a chuva tem cheiro de terra

isto me contaram por que eu
nunca estou no centro da minha vida.

Publicações relacionadas

Alberto Caeiro Alberto Caeiro (1889-1915) POEMAS PUBLICADOS BIOGRAFIA: U...
Acho tão Natural que não se Pe... Acho tão Natural que não se Pense (Alberto Caeiro) ...
A Lágrima A Lágrima (Augusto dos Anjos) - Faça-me o obséquio de trazer reunidos Cloret...
Primeiros Conselhos do Outono Primeiros Conselhos do Outono (Antero de Quental) Ouve tu, meu cansado coraca...

Deixe uma resposta