Pobres das Flores

Print Friendly, PDF & Email

Pobres das Flores (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Pobres das flores dos canteiros dos jardins regulares.
Parecem ter medo da polícia…
Mas tão boas que florescem do mesmo modo
E têm o mesmo sorriso antigo
Que tiveram para o primeiro olhar do primeiro homem
Que as viu aparecidas e lhes tocou levemente
Para ver se elas falavam…

Publicações relacionadas

A Ilha de Cipango A Ilha de Cipango (Augusto dos Anjos) Estou sozinho! A estrada se desdobra C...
Solemnia verba Solemnia verba (Antero de Quental) ...
Guitarra Guitarra (Nicolás Guillén) Tendida en la madrugada, la firme guitarra esper...
A vida escolástica A vida escolástica (Gregório de Matos) Mancebo sem dinheiro, bom barrete Med...

Deixe uma resposta