Pobres das Flores

Print Friendly, PDF & Email

Pobres das Flores (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Pobres das flores dos canteiros dos jardins regulares.
Parecem ter medo da polícia…
Mas tão boas que florescem do mesmo modo
E têm o mesmo sorriso antigo
Que tiveram para o primeiro olhar do primeiro homem
Que as viu aparecidas e lhes tocou levemente
Para ver se elas falavam…

Publicações relacionadas

O Mar O Mar (Augusto dos Anjos) O mar é triste como um cemitério, Cada rocha é uma...
Vida obscura Vida obscura (Cruz e Souza) Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro, Ó ser humi...
Luminares Luminares (Charles Pierre Baudelaire) Tra...
Meu Sonho Meu Sonho (Alvares Azevedo) Eu Cavaleiro das armas escuras, Onde vais pelas...

Deixe uma resposta