Pobres das Flores

Print Friendly, PDF & Email

Pobres das Flores (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Pobres das flores dos canteiros dos jardins regulares.
Parecem ter medo da polícia…
Mas tão boas que florescem do mesmo modo
E têm o mesmo sorriso antigo
Que tiveram para o primeiro olhar do primeiro homem
Que as viu aparecidas e lhes tocou levemente
Para ver se elas falavam…

Publicações relacionadas

Subversiva Subversiva (Ferreira Gullar) A poesia quando chega não respeita nada. Nem ...
Nada É Impossível De Mudar Nada É Impossível De Mudar (Bertold Brecht) Desconfiai do mais trivial , na...
Intimidad Intimidad (Mario Benedetti) Soñamos juntos juntos despertamos el tiempo h...
Balada das dez bailarinas do c... Balada das dez bailarinas do cassino (Cecília Meireles) Dez bailarinas desliz...

Deixe uma resposta