As horas pela alameda

Print Friendly, PDF & Email

As horas pela alameda (Fernando Pessoa)

As horas pela alameda
Arrastam vestes de seda,

Vestes de seda sonhada
Pela alameda alongada

Sob o azular do luar…
E ouve-se no ar a expirar –

A expirar mas nunca expira –
Uma flauta que delira,

Que é mais a idéia de ouvi-la
Que ouvi-la quase tranqüila

Pelo ar a ondear e a ir…
Silêncio a tremeluzir…

Publicações relacionadas

Rostro de vos Rostro de vos (Mario Benedetti) Tengo una soledad tan concurrida tan llen...
En la lucha de clases En la lucha de clases (Paulo Leminski) en la lucha de clases todas las ar...
Canção Boba Canção Boba (Federico Garcia Lorca) Tradução de José Paulo Paes Mamãe, E...
Inviation au Voyage Inviation au Voyage (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Felipe D’Olivei...

Deixe uma resposta