Ensinamento

Print Friendly, PDF & Email

Ensinamento (Adélia Prado)

Minha mãe achava estudo
a coisa mais fina do mundo.
Não é.
A coisa mais fina do mundo é o sentimento.
Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
ela falou comigo:
“Coitado, até essa hora no serviço pesado”.
Arrumou pão e café, deixou tacho no fogo com água quente,
Não me falou em amor.
Essa palavra de luxo.

Publicações relacionadas

Uma Noite no Cairo Uma Noite no Cairo (Augusto dos Anjos) Noite no Egito. O céu claro e profund...
Muito mais grave Muito mais grave (Mario Benedetti) Tradução Todas as partes de minha vida ...
Quando olho para mim não me pe... Quando olho para mim não me percebo (Álvaro de Campos) Quando olho para mim n...
O Martírio do Artista O Martírio do Artista (Augusto dos Anjos) Olha agora, mamífero inferior, A ...

Deixe uma resposta