Trova

Print Friendly, PDF & Email

Trova (Mário Quintana)

A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali…
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!

Publicações relacionadas

O sol O sol (Charles Pierre Baudelaire) Trad...
Álvaro de Campos Álvaro de Campos (1889-1935) POEMAS PUBLICADOS BIOGRAFIA: ...
Anunciação sem oxalá Anunciação sem oxalá (Mario Benedetti) Do l...
O notável foguete O notável foguete (Oscar Wilde) O filho do rei ia casar-se. Por isto o regozi...

Deixe uma resposta