Ai daqueles

Print Friendly, PDF & Email

Ai daqueles (Paulo Leminski)

Ai daqueles
Que se amaram sem nenhuma briga
Aqueles que deixaram
Que a mágoa nova
Virasse a chaga antiga

Ai daqueles que se amaram
Sem saber que amar é pão feito em casa
E que a pedra só não voa
Porque não quer
Não porque não tem asa.

Publicações relacionadas

Cien Sonetos de Amor – X... Cien Sonetos de Amor - XXVII (Pablo Neruda) Desnuda eres tan simple como una ...
O Mar O Mar (Augusto dos Anjos) O mar é triste como um cemitério, Cada rocha é uma...
Estâncias para Música Estâncias para Música (George Gordon Byron) Alegria não há que o mundo dê, co...
Subversiva Subversiva (Ferreira Gullar) A poesia quando chega não respeita nada. Nem ...

Deixe uma resposta