Da Minha Aldeia

Print Friendly, PDF & Email

Da Minha Aldeia (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Da minha aldeia veio quanto da terra se pode ver no Universo…
Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura…

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,
Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe
de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos
nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.

Publicações relacionadas

Neste momento terno e pensativ... Neste momento terno e pensativo (Walt Whitman) Neste momento terno e pensativ...
Tengo Tengo (Nicolás Guillén) De Tengo Cuando me veo y t...
Dolências (Oh! Lua morta de mi... Dolências (Oh! Lua morta de minha vida) (Augusto dos Anjos) Oh! Lua morta de ...
Tentanda via Tentanda via (Antero de Quental) d...

Deixe uma resposta