Dia

Print Friendly, PDF & Email

Dia (Adélia Prado)

As galinhas com susto abrem o bico
e param daquele jeito imóvel
– ia dizer imoral –
as barbelas e as cristas envermelhadas,
só as artérias palpitando no pescoço.
Uma mulher espantada com sexo:
mas gostando muito.

Publicações relacionadas

Decadência Decadência (Augusto dos Anjos) Iguais às linhas perpendiculares Caíram, como...
Navegadores Portugueses Navegar não é privilégio de nós, internautas. No...
Volúpia Imortal Volúpia Imortal (Augusto dos Anjos) Cuidas que o genesíaco prazer, Fome do á...
Mucho más grave Mucho más grave (Mario Benedetti) Todas las parcelas de mi vida tienen algo t...

Deixe uma resposta