Aos Leitores Amigos

Print Friendly, PDF & Email

Aos Leitores Amigos (Johann Wofgang von Goethe)

Poetas não podem calar-se,
Querem às turbas mostrar-se.
Há de haver louvores, censuras!
Quem vai confessar-se em prosa?
Mas abrimo-nos sob rosa
No calmo bosque das musas.

Quanto errei, quanto vivi,
Quanto aspirei e sofri,
Só flores num ramo — aí estão;
E a velhice e a juventude,
E o erro e a virtude
Ficam bem numa canção.

Publicações relacionadas

A fome e o amor A fome e o amor (Augusto dos Anjos) ...
Homem que olha o céu Homem que olha o céu (Mario Benedetti) Do liv...
Vandalismo Vandalismo (Augusto dos Anjos) Meu coração tem catedrais imensas, Templos de...
Lembrem de mim Lembrem de mim (Paulo Leminski) lembrem de mim como de um que ouvia a chu...

Deixe uma resposta