Aos Leitores Amigos

Print Friendly, PDF & Email

Aos Leitores Amigos (Johann Wofgang von Goethe)

Poetas não podem calar-se,
Querem às turbas mostrar-se.
Há de haver louvores, censuras!
Quem vai confessar-se em prosa?
Mas abrimo-nos sob rosa
No calmo bosque das musas.

Quanto errei, quanto vivi,
Quanto aspirei e sofri,
Só flores num ramo — aí estão;
E a velhice e a juventude,
E o erro e a virtude
Ficam bem numa canção.

Publicações relacionadas

Intimidade Intimidade (Mario Benedetti) Tradução Sonhamos juntos juntos despertamos ...
Dedução Dedução (Vladmir Maiakowski) Tradução de E. Carre...
Glória Glória (Cruz e Souza) Florescimentos e florescimentos! Glória às estrelas, g...
Fragmento de um canto em corda... Fragmento de um canto em cordas de bronze (Álvares de Azevedo) Deixai qu...

Deixe uma resposta