Aos Leitores Amigos

Print Friendly, PDF & Email

Aos Leitores Amigos (Johann Wofgang von Goethe)

Poetas não podem calar-se,
Querem às turbas mostrar-se.
Há de haver louvores, censuras!
Quem vai confessar-se em prosa?
Mas abrimo-nos sob rosa
No calmo bosque das musas.

Quanto errei, quanto vivi,
Quanto aspirei e sofri,
Só flores num ramo — aí estão;
E a velhice e a juventude,
E o erro e a virtude
Ficam bem numa canção.

Publicações relacionadas

Recolhimento Recolhimento (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Theophilo Dias Sinto...
Versos d’um Exilado Versos d’um Exilado (Augusto dos Anjos) Eu vou partir. Na límpida corrente R...
Escreve-Me … Escreve-Me ... (Florbela Espanca) Escreve-me! Ainda que seja só Uma palavra,...
Trem de ferro Trem de ferro (Manuel Bandeira) Café com pão Café com pão Café com pão V...

Deixe uma resposta