Canção do exílio

Print Friendly, PDF & Email

Canção do exílio (Gonçalves Dias)
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar –sozinho, à noite–
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Publicações relacionadas

A Lágrima A Lágrima (Augusto dos Anjos) - Faça-me o obséquio de trazer reunidos Cloret...
Amor e Religião Amor e Religião (Augusto dos Anjos) Conheci-o: era um padre, um desses santos...
Gemidos de Arte Gemidos de Arte (Augusto dos Anjos) I Esta desilusão que me acabrunha ...
Quando Vier a Primavera Quando Vier a Primavera (Alberto Caeiro) Quando vier a Primavera, Se eu já ...

Deixe uma resposta