Antes o Vôo da Ave

Print Friendly, PDF & Email

Antes o Voo da Ave (Alberto Caeiro)
De O Guardador de Rebanhos

Antes o voo da ave, que passa e não deixa rasto,
Que a passagem do animal, que fica lembrada no chão.
A ave passa e esquece, e assim deve ser.
O animal, onde já não está e por isso de nada serve,
Mostra que já esteve, o que não serve para nada.
A recordação é uma traição à Natureza,
Porque a Natureza de ontem não é Natureza.
O que foi não é nada, e lembrar é não ver.
Passa, ave, passa, e ensina-me a passar!

Publicações relacionadas

En coulliure En coulliure (Antonio Machado) Soplaban vientos del sur y el hombre emprendi...
Pastor do Monte Pastor do Monte (Alberto Caeiro) Pastor do monte, tão longe de mim com as t...
Chove. É dia de Natal Chove. É dia de Natal (Fernando Pessoa) Chove. É dia de Natal. Lá para o No...
Consulta Consulta (Antero de Quental) de ...

Deixe uma resposta