Orfandade

Print Friendly, PDF & Email

Orfandade (Adélia Prado)

Meu Deus,
me dá cinco anos.
Me dá um pé de fedegoso com formiga preta,
me dá um Natal e sua véspera,
o ressonar das pessoas no quartinho.
Me dá a negrinha Fia pra eu brincar,
me dá uma noite pra eu dormir com minha mãe.
Me dá minha mãe, alegria sã e medo remediável,
me dá a mão, me cura de ser grande,
ó meu Deus, meu pai,
meu pai.

Publicações relacionadas

Sou um caso perdido Sou um caso perdido (Mario Benedetti) Do liv...
Preceito 10 Preceito 10 (Gregório de Matos) Graças a Deus que cheguei a coroar meus d...
Sonho de um Monista Sonho de um Monista (Augusto dos Anjos) Eu e o esqueleto esquálido de Esquilo...
Poema do beco Poema do beco (Manuel Bandeira) Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a...

Deixe uma resposta