Exausto

Print Friendly, PDF & Email

Exausto (Adélia Prado)

Eu quero uma licença de dormir,

perdão pra descansar horas a fio,

sem ao menos sonhar

a leve palha de um pequeno sonho.

Quero o que antes da vida

foi o sono profundo das espécies,

a graça de um estado.

Semente.

Muito mais que raízes

Publicações relacionadas

As litanias de Satã (2) As litanias de Satã (2) (Charles Pierre Baudelaire) ...
Quero fazer os poemas das cois... Quero fazer os poemas das coisas materiais (Walt Whitman) Quero fazer os poem...
Perguntas de um operário que l... Perguntas de um operário que lê (Bertold Brecht) Quem construiu Tebas, a das ...
Conciliação Conciliação (Cruz e Souza) Se essa angústia de amar te crucifica, Não és da ...

Deixe uma resposta