Confesso eu sou poeta

Print Friendly, PDF & Email

Confesso eu sou poeta (Paulo Leminski)

parem
eu confesso
sou poeta

cada manhã que nasce
me nasce
uma rosa na face

parem
eu confesso
sou poeta

só meu amor é meu deus

eu sou o seu profeta.

Publicações relacionadas

A Louca A Louca (Augusto dos Anjos) A Dias Paredes Quando ela passa: - a veste des...
Gênio das trevas lúgubres, aco... Gênio das trevas lúgubres, acolhe-me (Augusto dos Anjos) Soneto Gênio das ...
Canção II Canção II (Cecília Meireles) Quero um dia para chorar. Mas a vida vai tão d...
O menino doente O menino doente (Manuel Bandeira) O menino dorme. Para que o menino Durm...

Deixe uma resposta