Confesso eu sou poeta

Print Friendly, PDF & Email

Confesso eu sou poeta (Paulo Leminski)

parem
eu confesso
sou poeta

cada manhã que nasce
me nasce
uma rosa na face

parem
eu confesso
sou poeta

só meu amor é meu deus

eu sou o seu profeta.

Publicações relacionadas

Nada É Impossível De Mudar Nada É Impossível De Mudar (Bertold Brecht) Desconfiai do mais trivial , na...
A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - V (Oscar Wilde) CAPÍTULO V Passados dias, andavam V...
Múmia Múmia (Cruz e Souza) Múmia de sangue e lama e terra e treva, Podr...
A Máscara A Máscara (Augusto dos Anjos) Eu sei que há muito pranto na existência, Dore...

Deixe uma resposta