Confesso eu sou poeta

Print Friendly, PDF & Email

Confesso eu sou poeta (Paulo Leminski)

parem
eu confesso
sou poeta

cada manhã que nasce
me nasce
uma rosa na face

parem
eu confesso
sou poeta

só meu amor é meu deus

eu sou o seu profeta.

Publicações relacionadas

As catadeiras de piolhos As catadeiras de piolhos (Arthur Rimbaud) Tradução de R.Magalhães Junior ...
Quando eu Quando eu (Alberto Caeiro) Quando eu não te tinha Amava a Natureza como um ...
Tu Tu (Vladmir Maiakowski) Tradução de E. Carrera Gu...
Rosário Rosário (Vinicius de Moraes E eu que era um menino puro Não fui perder minha...

Deixe uma resposta