Aço e flor

Print Friendly, PDF & Email

Aço e flor (Paulo Leminski)

Quem nunca viu
que a flor, a faca e a fera
tanto fez como tanto faz,
e a forte flor que a faca faz
na fraca carne,
um pouco menos, um pouco mais,
quem nunca viu
a ternura que vai
no fio da lâmina samurai,
esse, nunca vai ser capaz.

Publicações relacionadas

Distâncias mínimas Distâncias mínimas (Paulo Leminski) um texto morcego se guia por ecos ...
Ara maldita Ara maldita (Augusto dos Anjos) Como um’ave, cindindo os céus risonhos, Meig...
Vozes da Morte Vozes da Morte (Augusto dos Anjos) Agora, sim! Vamos morrer, reunidos, Tam...
Aventura na casa atarracada Aventura na casa atarracada (Ana Cristina Cesar) Movido contraditoriamente ...

Deixe uma resposta