Passei Toda a Noite

Print Friendly, PDF & Email

Passei Toda a Noite (Alberto Caeiro)

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar.
E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distração animada.
Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,
Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero.
Quero só Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.

Publicações relacionadas

Ergue, criança, a fronte condo... Ergue, criança, a fronte condorina ... (Augusto dos Anjos) Soneto Ao meu p...
Queixas Noturnas Queixas Noturnas (Augusto dos Anjos) Quem foi que viu a minha Dor chorando?! ...
Grande Sertão, Veredas (trecho... Grande Sertão, Veredas (João Guimarães Rosa) "... a gente quer passar um ri...
De la ciudad moruna De la ciudad moruna (Antonio Machado) De la ciudad moruna tras las murallas ...

Deixe uma resposta