Foederis arca

Print Friendly, PDF & Email

Foederis arca (Cruz e Souza)

Visão que a luz dos Astros louros trazes,
Papoula real tecida de neblinas
Leves, etéreas, vaporosas, finas,
Com aromas de lírios e lilazes.

Brancura virgem do cristal das frases,
Neve serene das regiões alpinas,
Willis juncal de mãos alabastrinas,
De fugitivas correções vivazes.

Floresces no meu Verso como o trigo,
O trigo de ouro dentre o sol floresce
E és a suprema Religião que eu sigo…

O Missal dos Missais, que resplandece,
A igreja soberana que eu bendigo
E onde murmuro a solitária prece!…

Publicações relacionadas

Idealizações Idealizações (Augusto dos Anjos) A Santos Neto I...
Festival Festival (Augusto dos Anjos) Para Jônatas Costa Címbalo...
O espectro O espectro (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Theophilo Dias Como es...
As tuas mãos terminam em segre... As tuas mãos terminam em segredo (Fernando Pessoa) As tuas mãos terminam em ...

Deixe uma resposta