Foederis arca

Print Friendly, PDF & Email

Foederis arca (Cruz e Souza)

Visão que a luz dos Astros louros trazes,
Papoula real tecida de neblinas
Leves, etéreas, vaporosas, finas,
Com aromas de lírios e lilazes.

Brancura virgem do cristal das frases,
Neve serene das regiões alpinas,
Willis juncal de mãos alabastrinas,
De fugitivas correções vivazes.

Floresces no meu Verso como o trigo,
O trigo de ouro dentre o sol floresce
E és a suprema Religião que eu sigo…

O Missal dos Missais, que resplandece,
A igreja soberana que eu bendigo
E onde murmuro a solitária prece!…

Publicações relacionadas

Auto-retrato Auto-retrato (Manuel Bandeira) Provinciano que nunca soube Escolher bem uma ...
Sou um Guardador de Rebanhos Sou um Guardador de Rebanhos (Alberto Caeiro) ...
Cartas de meu avô Cartas de meu avô (Manuel Bandeira) A tarde cai, por demais Erma, úmida e si...
Rostro de vos Rostro de vos (Mario Benedetti) Tengo una soledad tan concurrida tan llen...

Deixe uma resposta