É Ela! É Ela! É Ela! É Ela!

Print Friendly, PDF & Email

É Ela! É Ela! É Ela! É Ela! (Álvares de Azevedo)

É ela! É ela! — murmurei tremendo,
E o eco ao longe murmurou — é ela!
Eu a vi… minha fada aérea e pura —
A minha lavadeira na janela!

Dessas águas-furtadas onde eu moro
Eu a vejo estendendo no telhado
Os vestidos de chita, as saias brancas;
Eu a vejo e suspiro enamorado!

Esta noite eu ousei mais atrevido
Nas telhas que estalavam nos meus passos
Ir espiar seu venturoso sono,
Vê-la mais bela de Morfeu nos braços!

Como dormia! Que profundo sono!…
Tinha na mão o ferro do engomado…
Como roncava maviosa e pura!…
Quase caí na rua desmaiado!

Afastei a janela, entrei medroso…
Palpitava-lhe o seio adromecido…
Fui beijá-la… roubei do seio dela
Um bilhete que estava ali metido…

Oh! de certo… (pensei) é doce página
Onde a alma derramou gentis amores;
São versos dela… que amanhã de certo
Ela me enviará cheios de flores…

Tremi de febre! Venturosa folha!
Quem pousasse contigo neste seio!
Como Otelo beijando a sua esposa,
Eu beijei-a a tremer de devaneio…

É ela! É ela! — repeti tremendo;
Mas cantou nesse instante uma coruja…
Abri cioso a página secreta…
Oh! Meu Deus! Era um rol de roupa suja!

Mas se Werther morreu por ver Carlota
Dando pão com manteiga às criancinhas
Se achou-a assim mais bela — eu mais te adoro
Sonhando-te a lavar as camizinhas!

É ela! É ela! meu amor, minh’alma,
A Laura, a Beatriz que o céu revela…
É ela! É ela! — murmurei tremendo,
E o eco ao longe suspirou — é ela!

Publicações relacionadas

Nunca Sei Nunca Sei (Alberto Caeiro) Nunca sei como é que se pode achar um poente tr...
Prendimiento de Antoñito El Ca... Prendimiento de Antoñito El Camborio en el camino de Sevilla (Federico Garcia Lo...
Balõezinhos Balõezinhos (Manuel Bandeira) Na feira do arrabaldezinho Um homem loquaz apr...
À Mesa À Mesa (Augusto dos Anjos) Cedo à sofreguidão do estômago. É a hora De comer...

Deixe uma resposta