Coração frio

Print Friendly, PDF & Email

Coração frio (Augusto dos Anjos)

Frio o sagrado coração da lua,
Teu coração rolou da luz serena!
E eu tinha ido ver a aurora tua
Nos raios d’ouro da celeste arena…

E vi-te triste, desvalida e nua!
E o olhar perdi, ansiando a luz amena
No silêncio notívago da rua…
– Sonâmbulo glacial da estranha pena!

Estavas fria! A neve que a alma corta
Não gele talvez mais, nem mais alquebre
Um coração como a alma que está morta…

E estavas morta, eu vi, eu que te almejo,
Sombra de gelo que me apaga a febre,
– Lua que esfria o sol do meu desejo!

Publicações relacionadas

Uma Vida e Seu Ofício Uma Vida e Seu Ofício (Thiago de Mello Por Erorci Santana Claridão e antem...
Os deslimites da palavra Os deslimites da palavra (Manoel de Barros) Ando muito completo de vazios. M...
A desobediência civil – ... A desobediência civil - I (Henry David Thoreau) Aceito com entusiasmo o lema ...
Aninha e suas pedras Aninha e suas pedras (Cora Coralina) (Outubro, 198...

Deixe uma resposta