Inconstância dos bens do mundo

Print Friendly, PDF & Email

Inconstância dos bens do mundo (Gregório de Matos)

Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Depois da Luz se segue a noite escura,
Em tristes sombras morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.
Porém, se acaba o Sol, por que nascia?
Se é tão formosa a Luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?
Mas no Sol, e na Luz falte a firmeza,
Na formosura não se dê constancia,
E na alegria sinta-se tristeza.
Começa o mundo enfim pela ignorância,
E tem qualquer dos bens por natureza
A firmeza somente na inconstância.

Publicações relacionadas

Mi Buenos Aires querido Mi Buenos Aires querido (Juan Gelman) Do livro ...
Mater Originalis Mater Originalis (Augusto dos Anjos) Forma vermicular desconhecida Que estac...
Táctica y estrategia Táctica y estrategia (Mario Benedetti) Mi táctica es mirarte aprender com...
El alba denominadora El alba denominadora (Rafael Alberti) A embestidas suaves y rosas, la mad...

Deixe uma resposta