A morte de Rubén Darío

Print Friendly, PDF & Email

A morte de Rubén Darío (Antonio Machado)

Tradução

Se era toda em teu verso a harmonia do mundo
Onde fostes, Darío, a harmonia buscar?
Jardineiro de Hesperia, ruisenhor dos mares
coração assombrado da música astral,
Te há levado Dionisio de sua mão ao inferno
e com as novas rosas triunfante voltarás?
Te feriram buscando a sonhada Florida,
a fonte da eterna juventude, capitão?
Que nesta lingua mãe a clara história fique;
corações de todas as Espanhas, chorai.
Rubén Darío morreu em suas terras de Oro,
esta notícia nos chegou atravessando o mar.
Coloquemos, espanhois, em seu severo mármore,
seu nome, flauta e lira, e apenas uma inscrição:
Ninguem toque esta lira, se não for o próprio Apolo,
ninguém esta flauta sone, se não o próprio Pan.

Publicações relacionadas

Nada me demove Nada me demove (Paulo Leminski) nada me demove ainda vou ser o pai dos ...
O Deus-Verme O Deus-Verme (Augusto dos Anjos) Factor universal do transformismo. Filho da...
Salário Salário (Mario Benedetti) Do livro "Poemas do...
Sobre a violência Sobre a violência (Bertold Brecht) A corrente impetuosa é chamada de violenta...

Deixe uma resposta