A morte de Rubén Darío

Print Friendly, PDF & Email

A morte de Rubén Darío (Antonio Machado)

Tradução

Se era toda em teu verso a harmonia do mundo
Onde fostes, Darío, a harmonia buscar?
Jardineiro de Hesperia, ruisenhor dos mares
coração assombrado da música astral,
Te há levado Dionisio de sua mão ao inferno
e com as novas rosas triunfante voltarás?
Te feriram buscando a sonhada Florida,
a fonte da eterna juventude, capitão?
Que nesta lingua mãe a clara história fique;
corações de todas as Espanhas, chorai.
Rubén Darío morreu em suas terras de Oro,
esta notícia nos chegou atravessando o mar.
Coloquemos, espanhois, em seu severo mármore,
seu nome, flauta e lira, e apenas uma inscrição:
Ninguem toque esta lira, se não for o próprio Apolo,
ninguém esta flauta sone, se não o próprio Pan.

Publicações relacionadas

O poema do frade O poema do frade (Álvares de Azevedo) Fragmentos interligados Meu herói é ...
Post mortem Post mortem (Augusto dos Anjos) Quando do amor das Formas inefáveis ...
Cancion del mariquita Cancion del mariquita (Federico Garcia Lorca) El mariquita se peina en su p...
Asa de Corvo Asa de Corvo (Augusto dos Anjos) Asa de corvos carniceiros, asa De mau agour...

Deixe uma resposta