À Capela do Almeida

Print Friendly, PDF & Email

À Capela do Almeida (Castro Alves)

GRATO oásis do viajante,
Terra de lindos primores,
Tu és sultana das flores,
Bela filha do sertão.
Aí no regaço ameno
O lasso e triste romeiro,
Se esquece do amor primeiro
Pois te dá seu coração.

Que importa por longes terras
Se ostentem mil maravilhas?
Paris, Nápoles, Sevilha,
Não têm o atrativo teu.
Em vez de luxo — tens flores,

Em vez de sedas — perfumes,
Em vez de bailes — os lumes
Das estrelinhas do Céu.

Publicações relacionadas

O Poeta do Hediondo O Poeta do Hediondo (Augusto dos Anjos) Tinha no olhar cetíneo, aveludado, A...
Criança Desconhecida Criança Desconhecida (Alberto Caeiro) Criança desconhecida e suja brincando ...
Parábola Parábola (Antonio Machado) Erase de un marinero que hizo un jardín junto al ...
Inventario galante Inventario galante (Antonio Machado) Tus ojos me recuerdan las noches de ve...

Deixe uma resposta