À Capela do Almeida

Print Friendly, PDF & Email

À Capela do Almeida (Castro Alves)

GRATO oásis do viajante,
Terra de lindos primores,
Tu és sultana das flores,
Bela filha do sertão.
Aí no regaço ameno
O lasso e triste romeiro,
Se esquece do amor primeiro
Pois te dá seu coração.

Que importa por longes terras
Se ostentem mil maravilhas?
Paris, Nápoles, Sevilha,
Não têm o atrativo teu.
Em vez de luxo — tens flores,

Em vez de sedas — perfumes,
Em vez de bailes — os lumes
Das estrelinhas do Céu.

Publicações relacionadas

El Ausente El Ausente (Octavio Paz) Dios insaciable que mi insomnio alimenta; Dios...
Aurora Aurora (Adolfo Casais Monteiro) A poesia não é voz - é uma inflexão. Dizer,...
Balada Balada (Florbela Espanca) Amei-te muito, e eu creio que me quiseste Também p...
Reflexão no.1 Reflexão no.1 (Murilo Mendes) Ninguém sonha duas vezes o mesmo sonho Ninguém...

Deixe uma resposta