Vive

Print Friendly, PDF & Email

Vive (Alberto Caeiro)

Vive, dizes, no presente,
Vive só no presente.
Mas eu não quero o presente, quero a realidade;
Quero as cousas que existem, não o tempo que as mede.

O que é o presente?
É uma cousa relativa ao passado e ao futuro.
É uma cousa que existe em virtude de outras cousas existirem.
Eu quero só a realidade, as cousas sem presente.

Não quero incluir o tempo no meu esquema.
Não quero pensar nas cousas como presentes; quero pensar nelas
como cousas.
Não quero separá-las de si-próprias, tratando-as por presentes.

Eu nem por reais as devia tratar.
Eu não as devia tratar por nada.

Eu devia vê-las, apenas vê-las;
Vê-las até não poder pensar nelas,
Vê-las sem tempo, nem espaço,
Ver podendo dispensar tudo menos o que se vê.
É esta a ciência de ver, que não é nenhuma.

Publicações relacionadas

Cruzou por mim, veio ter comig... Cruzou por mim, veio ter comigo, numa rua da Baixa (Álvaro de Campos) Cruzou ...
Acordo de Noite Acordo de Noite (Alberto Caeiro) De O...
Trem de ferro Trem de ferro (Manuel Bandeira) Café com pão Café com pão Café com pão V...
Eterna Mágoa Eterna Mágoa (Augusto dos Anjos) O homem por sobre quem caiu a praga Da tris...

Deixe uma resposta