Hoje de Manhã

Print Friendly, PDF & Email

Hoje de Manhã (Alberto Caeiro)

Hoje de manhã saí muito cedo,
Por ter acordado ainda mais cedo
E não ter nada que quisesse fazer…
Não sabia por caminho tomar
Mas o vento soprava forte, varria para um lado,
E segui o caminho para onde o vento me soprava nas costas.

Assim tem sido sempre a minha vida, e
assim quero que possa ser sempre —
Vou onde o vento me leva e não me
Sinto pensar.

Publicações relacionadas

Quase um réquiem Quase um réquiem (Mario Benedetti) Do livro "...
André Chénier André Chénier (Augusto dos Anjos) Na real magnificência dos gigantes Grave c...
Apagar-me Apagar-me (Paulo Leminski) Apagar-me diluir-me desmanchar-me até que dep...
Triste Regresso Triste Regresso (Augusto dos Anjos) Uma vez um poeta, um tresloucado, Apaixo...

Deixe uma resposta