Do inquieto oceano da multidão

Print Friendly, PDF & Email

Do inquieto oceano da multidão (Walt Whitman)

Do inquieto oceano da multidão
veio a mim uma gota gentilmente
suspirando:

– Eu te amo. há longo tempo
fiz uma extensa caminhada apenas
para te olhar, tocar-te,
pois não podia morrer
sem te olhar uma vez antes,
com meu temor de peder-te depois.

– Agora nos encontramos e olhamos,
estamos salvos,
retorne em paz ao oceano, meu amor,
não estamos assim tão separados,
olhe a imensa curvatura,
a coesão de tudo tão perfeito!
Quanto a mim e a você,
separa-nos o mar irresistível
levando-nos algum tempo afastados,
embora não possa afastar-nos sempre:
não fique impaciente – um breve espaço –
e fique certa de que eu saúdo o ar,
a terra e o oceano,
todos os dias ao pôr-do-sol
por sua amada causa, meu amor.

Publicações relacionadas

Sabete aquí Sabete aquí (Mario Benedetti) Podés querer el alba cuando quieras he cons...
Idealização da Humanidade Futu... Idealização da Humanidade Futura (Augusto dos Anjos) Rugia nos meus centros c...
Não Basta Não Basta (Alberto Caeiro) Não basta abrir a janela Para ver os campos e ...
Ângelus Ângelus (Mario Benedetti) Do livro "Poemas do...

Deixe uma resposta