Pistas

Print Friendly, PDF & Email

Pistas (Adélia Prado)

Não pode ser uma ilusão fantástica
o que nos faz domingo após Domingo
visitar os parentes, insistir
que assim é melhor, que de fato um bom
emprego é meio caminho andado.
Não pode ser verdade
que tanto afã escave na insolvência.
Há vôos maravilhosos de ave,
aviões tão belos repousando nos campos
e o que é piedoso no morto:
não seu sexo murcho,
mas suas mãos empenhadas sobre o peito.

Publicações relacionadas

Num Dia de Verão Num Dia de Verão (Alberto Caeiro) D...
Dinheiro Dinheiro (Álvares de Azevedo) Oh! argent! Avec toi on est beau, jeune, adoré;...
Passa uma Borboleta Passa uma Borboleta (Alberto Caeiro) ...
O Capoeira O Capoeira (Oswald de Andrade) Qué apanhá sordado? O quê? Qué apanhá? Pe...

Deixe uma resposta