Sonho Branco

Print Friendly, PDF & Email

Sonho Branco (Cruz e Souza)

De linho e rosas brancas vais vestido,
Sonho virgem que cantas no meu peito!…
És do Luar o claro deus eleito,
Das estrelas puríssimas nascido.

Por caminho aromal, enflorescido,
Alvo, sereno, límpido, direito,
Segues radiante, no esplendor perfeito,
No perfeito esplendor indefinido…

As aves sonorizam-te o caminho…
E as vestes frescas, do mais puro linho
E as rosas brancas dão-te um ar nevado…

No entanto, Ó Sonho branco de quermesse!
Nessa alegria em que tu vais, parece
Que vais infantilmente amortalhado!

Publicações relacionadas

Post mortem Post mortem (Augusto dos Anjos) Quando do amor das Formas inefáveis ...
A João de Deus A João de Deus (Antero de Quental) Na mão de Deus, na sua mão direita, Desca...
Mágoas Mágoas (Augusto dos Anjos) Quando nasci, num mês de tantas flores, Todas mu...
As litanias de Satã (2) As litanias de Satã (2) (Charles Pierre Baudelaire) ...

Deixe uma resposta