Não Basta

Print Friendly, PDF & Email

Não Basta (Alberto Caeiro)

Não basta abrir a janela
Para ver os campos e o rio.
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma.
Com filosofia não há árvores: há idéias apenas.
Há só cada um de nós, como uma cave.
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,
Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.

Publicações relacionadas

Clamando… Clamando... (Cruz e Souza) Bárbaros vãos, dementes e terríveis Bo...
Lápide Lápide (Paulo Leminski) Lápide 1 epitáfio para o corpo Aqui jaz um g...
Certa vez numa cidade Certa vez numa cidade (Walt Whitman) Certa vez eu passei por uma cidade bem ...
Torre de ouro Torre de ouro (Cruz e Souza) Desta torre desfraldam-se altaneiras, ...

Deixe uma resposta