Navio que Partes

Print Friendly, PDF & Email

Navio que Partes (Alberto Caeiro)

Navio que partes para longe,
Por que é que, ao contrário dos outros,
Não fico, depois de desapareceres, com saudades de ti?
Porque quando te não vejo, deixaste de existir.
E se se tem saudades do que não existe,
Sinto-a em relação a cousa nenhuma;
Não é do navio, é de nós, que sentimos saudade.

Publicações relacionadas

Veinte poemas de amor y una ca... Veinte poemas de amor y una canción desesperada - 10 (Pablo Neruda) Hemos per...
Tristezas da lua Tristezas da lua (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Martins Fontes ...
Balada das dez bailarinas do c... Balada das dez bailarinas do cassino (Cecília Meireles) Dez bailarinas desliz...
Egmont (1787, tragédia em 5 at... Egmont (1787, tragédia em 5 atos) - resumo (Johann Wofgang von Goethe) A ação...

Deixe uma resposta