Navio que Partes

Print Friendly, PDF & Email

Navio que Partes (Alberto Caeiro)

Navio que partes para longe,
Por que é que, ao contrário dos outros,
Não fico, depois de desapareceres, com saudades de ti?
Porque quando te não vejo, deixaste de existir.
E se se tem saudades do que não existe,
Sinto-a em relação a cousa nenhuma;
Não é do navio, é de nós, que sentimos saudade.

Publicações relacionadas

Hagamos un trato Hagamos un trato (Mario Benedetti) do livro ...
Estado de ânimo Estado de ânimo (Mario Benedetti) Tradução As vezes me sinto como uma águ...
A Um Gérmen A Um Gérmen (Augusto dos Anjos) Começaste a existir, geléia crua, E hás de c...
Páscoa Páscoa (Adélia Prado) Velhice é um modo de sentir frio que me assalta e um...

Deixe uma resposta