Quem me Dera

Print Friendly, PDF & Email

Quem me Dera (Alberto Caeiro)

De O Guardador de Rebanhos

Quem me dera que a minha vida fosse um carro de bois
Que vem a chiar, manhãzinha cedo, pela estrada,
E que para de onde veio volta depois
Quase à noitinha pela mesma estrada.
Eu não tinha que ter esperanças — tinha só que ter rodas …
A minha velhice não tinha rugas nem cabelo branco…
Quando eu já não servia, tiravam-me as rodas
E eu ficava virado e partido no fundo de um barranco.

Publicações relacionadas

Paisagem noturna Paisagem noturna (Manuel Bandeira) A sombra imensa, a noite infinita enche o ...
Súplica Súplica (Florbela Espanca) Olha pra mim, amor, olha pra mim; Meus olhos anda...
O poeta pede a seu amor que lh... O poeta pede a seu amor que lhe escreva (Federico Garcia Lorca) Amor de ...
Poema Sujo – um fragment... Poema Sujo - um fragmento: "Velocidades" (Ferreira Gullar) Mas na cidade havi...

Deixe uma resposta