O Lupanar

Print Friendly, PDF & Email

O Lupanar (Augusto dos Anjos)

Ali! Por que monstruosíssimo motivo
Prenderam para sempre, nesta rede,
Dentro do ângulo diedro da parede,
A alma do homem polígamo e lascivo?!

Este logar, moços do mundo, vêde:
É o grande bebedouro coletivo,
Onde os bandalhos, como um gado vivo,
Todas as noites, vêm matar a sede!

É o afrodisíaco leito do hetairismo,
A antecâmara lúbrica do abismo,
Em que é mister que o gênero humano entre,

Quando a promiscuidade aterradora
Matar a última força geradora
E comer o último óvulo do ventre!

Publicações relacionadas

Virar a página Virar a página (Mario Benedetti) Do livro "P...
Siderações Siderações (Cruz e Souza) Para as Estrelas de cristais gelados As...
Desencontrários Desencontrários (Paulo Leminski) Mandei a palavra rimar. Ela não me obedeceu...
Preceito 10 Preceito 10 (Gregório de Matos) Graças a Deus que cheguei a coroar meus d...

Deixe uma resposta