Paisagem

Print Friendly, PDF & Email

Paisagem (Oswald de Andrade)

Na atmosfera violeta
A madrugada desbota
Uma pirâmide quebra o horizonte
Torres espirram do chão ainda escuro
Pontes trazem nos pulsos rios bramindo
Entre fogos
Tudo novo se desencapotando.

Publicações relacionadas

O analfabeto político O analfabeto político (Bertold Brecht) "O pior analfabeto é o analfabeto polí...
A Guerra A Guerra (Alberto Caeiro) A guerra que aflige com os seus esquadrões o M...
Último Soneto Último Soneto (Álvares de Azevedo) Já da noite o palor me cobre o rosto,...
Adivinanzas Adivinanzas (Nicolás Guillén) De West Indies Ltd. ...

Deixe uma resposta