Pensão familiar

Print Friendly, PDF & Email

Pensão familiar (Manuel Bandeira)

Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espapaçados ao sol.
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar as boninas que murcharam.
Os girassóis
amarelo!
resistem.
E as dálias, rechonchudas, plebéias, dominicais.

Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçom de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
— É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.

Publicações relacionadas

Há homens que lutam um dia Há homens que lutam um dia (Bertold Brecht) Há homens que lutam um dia, e são...
Flor do mar Flor do mar (Augusto dos Anjos) És da origem do mar, vens do secreto, ...
O Fim Das Coisas O Fim Das Coisas (Augusto dos Anjos) Pode o homem bruto, adstricto à ciência ...
Expectativas Expectativas (Mario Benedetti) Do livro "Per...

Deixe uma resposta