Pensão familiar

Print Friendly, PDF & Email

Pensão familiar (Manuel Bandeira)

Jardim da pensãozinha burguesa.
Gatos espapaçados ao sol.
A tiririca sitia os canteiros chatos.
O sol acaba de crestar as boninas que murcharam.
Os girassóis
amarelo!
resistem.
E as dálias, rechonchudas, plebéias, dominicais.

Um gatinho faz pipi.
Com gestos de garçom de restaurant-Palace
Encobre cuidadosamente a mijadinha.
Sai vibrando com elegância a patinha direita:
— É a única criatura fina na pensãozinha burguesa.

Publicações relacionadas

Ao Começar meus estudos Ao Começar meus estudos (Walt Whitman) Ao Começar meus estudos, me agradou t...
Paisagem Paisagem (Oswald de Andrade) Na atmosfera violeta A madrugada desbota Uma p...
Noturno Noturno (Antero de Quental) Espírito que passas, quando o vento Adormece no ...
A Noite Desce A Noite Desce (Alberto Caeiro) A noite desce, o calor soçobra um pouco...

Deixe uma resposta