Perdoa-me, Visão dos meus Amores

Print Friendly, PDF & Email

Perdoa-me, Visão dos meus Amores (Alvares Azevedo)

Perdoa-me, visão dos meus amores,
Se a ti ergui meus olhos suspirando! …
Se eu pensava num beijo desmaiando
Gozar contigo uma estação de flôres!

De minhas faces os mortais palores,
Minha febre noturna delirando,
Meus ais, meus tristes ais vão revelando
Que peno e morro de amorosas dores…

Morro, morro por ti! na minha aurora
A dor do coração, a dor mais forte,
A dor de um desengano me devora…

Sem que última esperança me conforte,
Eu – que outrora vivia! – eu sinto agora
Morte no coração, nos olhos morte!

Publicações relacionadas

Preceito 09 Preceito 09 (Gregório de Matos) Do nono não digo nada, porque para mim é ...
País depois País depois (Mario Benedetti) Do livro "Perg...
Quando analiso a conquistada f... Quando analiso a conquistada fama (Walt Whitman) Quando analiso a conquistad...
Presa do ódio Presa do ódio (Cruz e Souza) Da tu'alma na funda galeria Descendo às vezes, ...

Deixe uma resposta