Perdoa-me, Visão dos meus Amores

Print Friendly, PDF & Email

Perdoa-me, Visão dos meus Amores (Alvares Azevedo)

Perdoa-me, visão dos meus amores,
Se a ti ergui meus olhos suspirando! …
Se eu pensava num beijo desmaiando
Gozar contigo uma estação de flôres!

De minhas faces os mortais palores,
Minha febre noturna delirando,
Meus ais, meus tristes ais vão revelando
Que peno e morro de amorosas dores…

Morro, morro por ti! na minha aurora
A dor do coração, a dor mais forte,
A dor de um desengano me devora…

Sem que última esperança me conforte,
Eu – que outrora vivia! – eu sinto agora
Morte no coração, nos olhos morte!

Publicações relacionadas

El juego en que andamos El juego en que andamos (Juan Gelman) Do livro "El juego...
O poema do frade O poema do frade (Álvares de Azevedo) Fragmentos interligados Meu herói é ...
O Binômio de Newton O Binômio de Newton (Álvaro de Campos) O Binômio de Newton é tão belo como a ...
Galope Galope (Rafael Alberti) Las tierras, las tierras, las tierras de España, la...

Deixe uma resposta