Primavera

Print Friendly, PDF & Email

Primavera (Augusto dos Anjos)

A meu irmão Odilon dos Anjos

Primavera gentil dos meus amores,
– Arca cerúlea de ilusões etéreas,
Chova-te o Céu cintilações sidéreas
E a terra chova no teu seio flores!

Esplende, Primavera, os teus fulgores,
Na auréola azul dos dias teus risonhos,
Tu que sorveste o fel das minhas dores
E me trouxeste o néctar dos teus sonhos!

Cedo virá, porém, o triste outono,
Os dias voltarão a ser tristonhos
E tu hás de dormir o eterno sono,

Num sepulcro de rosas e de flores,
Arca sagrada de cerúleos sonhos,
Primavera gentil dos meus amores!

Publicações relacionadas

Felicidade clandestina (trecho... Felicidade clandestina(Clarice Lispecto) " Às vezes sentava-se na rede, bal...
Saudade Saudade (Augusto dos Anjos) Hoje que a mágoa me apunhala o seio, E o coração...
Neologismo Neologismo (Manuel Bandeira) Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento pala...
Sabete aquí Sabete aquí (Mario Benedetti) Podés querer el alba cuando quieras he cons...

Deixe uma resposta